Wagner Pensa Hirata

Love and Bike Lifestyle

Arquivo para o mês “julho, 2008”

Direito de Pensar

Ontem quis saber de algo que não era diretamente uma de minhas responsabilidades quanto ao trabalho, e me disseram um calmo: "Não te interessa, isso não é parte de seu trabalho. Você tem que fazer seu trabalho e pronto", e como é de praxe fiquei indignado, mas obrigado…

 

Nunca gostei de fazer algo por fazer, de simplesmente cumprir uma ordem, do ato burro. Não gosto de fazer algo por que "tenho" que fazer. Eu acredito que tudo tem o seu "por que" e também acredito que essa informação não deve ser um direito exclusivo de quem "ordena". Ninguém é burro o suficiente para que os "por quês" sejam mantidos em segredo. Mandar alguém cumprir uma ordem sem dizer o "por que" é uma necessidade de pessoas inseguras que tem a necessidade de simplesmente mandar e ser obedecido.

 

Não posso negar a minha influência pela visão japonesa, mas eu acredito que todos devemos ser incentivados a pensar e a chegar às conclusões, sim excitados a pensar. Sei que muitas pessoas se sentem ameaçadas por isso, mas limitar o pensamento (crescimento) dos outros não vai fazer ninguém mais inteligente, ou mais preparado. Muitas pessoas se importam com estrelas que brilham a sua volta.

 

Sou a favor sim da educação, da paciência, da opinião, da discussão. Amo, de paixão, explicar e ensinar. Gozo quando vejo alguém aprendendo e usando o que ensinei. Gozo vendo as pessoas crescerem, e fico muito feliz em ver que fiz parte disso, que não estou vivendo simplesmente por mim.

Sou e sempre fui contra o desperdício, como quando limitamos as pessoas a braços, e descartamos suas cabeças?… O uso completo do INDIVÍDUO é muito mais construtivo, o problema é a ameaça que isso pode causar a algumas pessoas. Acredito que todos devem alcançar seu potencial, doa a quem doer.

 

Exemplificando mostro-lhes algumas linhas de um livro que li:

 "Montenegro começava ali a estabelecer uma marca registrada que cultivaria o resto da vida: cercar-se de auxiliares de primeira linha, sem qualquer receio de que esses por ventura pudessem um dia um dia via a ofuscar com sua competência aquele que os chefiava.

[…]

‘Ele não era homem de ter medo de alguém mais brilhante fazer sombra para ele. ‘

[…]

– Era bem gostoso conversar com ele. O brigadeiro conseguia ser, ao mesmo tempo, um militar e um professor. Era firme, mas não era ríspido. Queria que nós entendêssemos as coisas, que não nos resumíssemos a obedecer. Se dava uma ordem, ele explicava o porquê da ordem. Dizem que era assim também com os subordinados dele. Só sei que ele tinha pavor de sujeito burro, de gente que cumpria ordens sem saber a razão."

 

MORAIS, Fernando. Montenegro /  Fernando Morais. – São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2006. P. 97 e p. 219

 

 

Não quero que ninguém deixe de brilhar seja onde for, em minha volta, onde que seja.

Por favor pessoas… brilhem!…

 

P. S.

Não acredito que isso que escrevo seja a verdade, mas apenas meu ponto de vista, ponto de vista baseado no que eu vivi.

I have got to remember

Melhorar;

Ter filhos;

Ajudar as pessoas.

 

Ajudar as pessoas – Ser uma benção-

Não posso me esquecer, eu tenho que me lembrar.

Minha escolha, ninguém é obrigado a fazer nada.

Essa é a verdade para mim, esse é o meu caminho.

Além de mim, até o próximo.

Tenho que me lembrar.

 

Sou humano e sei que terei falhas, mas ainda vou tentar.

 

Sou o maior hipócrita em dizer, mas tenho que falar.

 

Quando o egoísmo me pedir, eu tenho que negar.

 

Quando eu ver maldade, tenho que ajudar e não condenar.

 

Quando me mostrarem a morte, tenho que mostrar a vida.

 

Quando a verdade doer eu tem que dizer.

 

Quando a verdade for sobre mim, eu tenho que enfrentar.

 

Quando estiver errado tenho que ceder. 

 

Quando alguém me fizer o mal, não devo revidar.

 

Quando me odiarem, tenho que amar.

 

Quando houver a indiferença, tenho eu ser o zelo e o cuidado.

 

Tenho que me lembrar.

 

Mesmo sendo difícil, tenho que tentar.

 

Quando quiser desistir, tenho que me lembrar.

 

Quando tiver que mudar, deve ser para melhor.

 

Quando estiver fraco,

Tenho que me lembrar,

Que não estou sozinho.

Cirurgia de lipoaspiração? por Herbert Vianna

Cirurgia de lipoaspiração?
 
Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem niguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguem que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão. O mundo pirou, enlouqueceu. Hoje, Deus é auto imagem. Religião, é dieta. Fé, só na estética. Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal. Ruga é contravenção. Roubar pode, envelhecer, não. Estria écaso de polícia. Celulite é falta de educação. Filho da puta é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?
A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem. Imagem, estética, medidas e beleza. Nada mais importa. Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo. Jovens não têm mais fé, nem idealismo, nem posição política. Adultos perdem o senso em busca da juventude fabriada.
Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar lega, quero caminha, correr, viver muito, ter uma aparência legal mas…
Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e mulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados, aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser. Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude.
Quer eu me acalme. Que o amor sobreviva.
 
"Cuide bem do seu amor, seja ele quem for."
 
Herbert Vianna
 

o Valor do Dinheiro

As vezes me assusto com a importância que algumas pessoas dão para o dinheiro.
O dinheiro é o valor, dinheiro é o que importa, o dinheiro é o objetivo, dinheiro é o consolo e a felicidade.
Pessoas se submetem a tudo por dinheiro.
Passam por cima de pessoas, desrespeitam leis, pisam na própria família.
Puxam saco de quem não respeitam, se prostituindo.
Se vendem não observando o caminho mas só o fim.
Usam atalhos e traçam caminhos onde o sofrimento do próximo é ignorado.
O dinheiro faz com que pessoas vivam semanas infelizes, só esperando a sexta feira e odiando a segunda.
Faz com que pessoas queiram trabalhar com o Roberto Justus.
Transforma o amor em produto.
Tem gente que pensa que o dinheiro compra o sentimento, compra o amor, pobres pessoas…
Tem gente que pensa que tem tudo por ter dinheiro, mas não tem nada…
Quem pensa que o dinheiro pode comprar o amor, vê amigos, esposa, mas sem dinheiro tudo se vai… amor comprado não dura…
afinal sem amor nada vale…
Tira a saúde de pessoas que fazem de tudo para te-lo, que passam horas para conquista-lo para ficar menutos felizes.
O dinheiro tira a humildade, traz a arrogância.
O dinheiro dá poder.
Trás satisfação temporária quando é o objetivo.
Mas pode ser um dos eles mentos da felicidade se for só uma consequência de algo maior.
O dinheiro cega.
Pra que se importar com tudo isso, gente?… valores?… respeito?…
Quando o que se importa é o dinheiro, o dinheiro não compra?… por que vejo pessoas serem vendidas…
 

Navegação de Posts