Esporte

Como é bom andar de bicicleta, sem vidros para separar das pessoas e da cidade; como é bom andar muitos quilômetros em um dia, superar ladeiras.
Como é bom acordar as 3:00 da manhã para ir a academia por disciplina e sentir-se bem o dia inteiro.
Como é bom escalar, subir paredes intransponíveis e sentir a glória da conquista.
Como é bom jogar tênis de mesa e controlar o movimento da bola; equilibrando força rapidez e precisão.

Como é bom sentir o suor escorrer pelo meu rosto sentindo que meu corpo aquece queimando calorias, sem me cansar.

“(…)
Não sei se acontece com você, mas eu sinto uma satisfação enorme em vero que acontece com o corpo durante o esporte. Gosto de colocar os pulmões para trabalhar e ver os músculos reagindo à ação do ácido lático. Acho incrível a velocidade que podemos atingir, impulsionados apenas por músculos.
(…)”
MARCELLINI, Andrea. O Ciclismo que o ciclismo não conhece – Continuação. Bike Action, São Paulo – SP ANO 11 no. 24. p.22. Dezembro. 2010.

Mais que prazer uma obrigação, a Deus que me deu a vida a minha mãe que me pariu. O que eu poderia fazer se não cuidar muito bem do bem mais importante que ela me deu… a vida.

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s