Wagner Pensa Hirata

Love and Bike Lifestyle

Arquivo para o mês “março, 2013”

Carta aos Suicidas

“Amor é suicídio”
Billy Corgan
Senhor suicida que pensa que a vida não vale a pena, entendo a sua frustração em sua tentativa de ser normal, mas lhe peço: não despedisse sua vida. A vida pode parecer dura mas você pode ser feliz. Não quero julgar os problemas de ninguém, mas algo eu digo: a vida é bela, e o pior qualquer situação pode parecer há solução e você pode ser feliz.
Mas se vc não se convenceu com minhas palavras, eu sugiro uma forma interessante de suicídio. Se você já perdeu a esperança de ser feliz, você pode lutar por algo interessante, a felicidade de alguém mais.
Sua vida, com certeza, foi um presente de Deus. Você tem a chance de respirar; a chance de ser feliz; a chance de lutar; a chance de amar; e você pode decidir por isso ou não, sim é uma escolha Sua, mas cabe a você optar por ser infeliz; desistir; ser indiferente; ser egoísta; mas nunca poderá dizer que você não teve a chance. Você pode não ter conseguido sucesso em alguma coisa que acredita ser essencial em sua vida, mas cá entre nós, você prefere o “sucesso” ou ser feliz?… Há, pode acreditar, muita beleza no simples caminha no lutar…
Escolhas existem, dificuldades também mas elas são para todos não só pra você, todos erramos mas nem todos aprendemos com os nossos erros. Mas errado, acredito eu, é ser um suicida entregando a vida dessa maneira, sendo que você pode  se suicidar de uma forma mais constritiva.
Mas vou lhe dizer a minha proposta de suicídio. Já que você acha que não vai ser feliz mesmo entregue sua vida sim mas para algo que vale a pena não para morte, afinal ela chegará de qualquer maneira. Dedique o resto da sua vida, já que pra você ela não vale nada, para amar e ajudar. Se você trabalha, continue trabalhando e não junte dinheiro para você sua família e seu conforto, doe seu salário para alguém que precise, ou mude de emprego trabalhe em causas nobres para fazer um mundo melhor.
Se sua causa pessoal não existe mais, lute pela causa do amor, lute pelo fim da fome, pela educação, pela saúde. Se torne politico, por que é disso que precisamos: políticos que não se importem consigo mesmos, com seu próprio dinheiro seu salário, em se manter no poder, em se manter vivo, que não pense em si mas na população, precisamos de políticos que se importem com tudo menos com sigo mesmos. Imagine, você no poder, vai roubar pra que? vai se manter no poder pra que? se isso não importa para você! se você ver corrupção com certeza iria denunciar, afinal suicída não teme a morte né?!…
Seja um suicída conciente, não se importe consigo, mas não deixe de se importar com o outro, aí quem sabe sua vida vai valer realmente a pena, não por você, é claro, mas pelo bem que você fez, pelas pessoas que você fez feliz. Viva por isso e deixe o tempo passar, depois veja o seu passado, ai você vai ver que valeu a pena você perder a sua vida por algo maior. E o mais importante, você vai ver que não perdeu sua vida, vai perceber que a ganhou, e o mais importante, você vai perceber que foi feliz.

Declaração de um Feminista

Eu não sou seu, não sou um objeto e não fui feito para te fazer feliz.Tentativas de controle só te frustrará pois o Caminho que tenho que seguir é muito maior do que você, e vou segui-lo…

Não queira me mudar para eu ser algo que tem idealizado pois irá se decepcionar. Sou o que sou e só vou mudar por minhas convicções não pelas suas.

Se acha que fazer parte do meu Caminho não te faz feliz, mas te faz feliz apenas sendo o Caminho, lamento mas está fadado a um triste fim…

O amor que deseja só para você não pode ser desperdiçado, tenho muito para amar…

Um homem que queria amar – Balanço dos 33

1462120_10201282606490774_1359406935_nBalanço dos 33, a idade de Jesus

Confúcio disse que um homem não viveu em vão se descobrir o Caminho no seu último dia de vida, então se descubro o Caminho na metade dedico a metade restante para Amar, estou no Lucro…

Já tentei tantas coisas no meu objetivo de Amar, quando escolhi meu curso da faculdade decidi por Administração Hoteleira a arte de receber e servir, como achava lindo, uma profissão elevada.

Fazendo a faculdade comecei a doar sangue com o desejo de salvar vidas, muitas vidas, doava sangue até não poder mais. Ficava feliz mas não satisfeito, afinal eu tinha um intervalo de 60 dias para poder amar novamente.

Insuficiente queria mais, queria amar e que isso fosse parte do meu dia a dia.

Procurando sem achar em minha igreja evangélica, queria encontrar o Caminho verdadeiro e a Verdade, li muito e diversos autores mas os principais que poderia citar: Matin Luther King Junior, Madre Tereza de Calcutá, Confucio, Sêneca, Maquiavel, Fernando Morais, Ricardo Gondim, Brian McLaren entre outros. Aprendi muito sobre o homem, seu comportamento e sobre mim mesmo.

A igreja para mim sempre foi idealizada como o lugar para me mostrar o Caminho e a Verdade, mas muito decepcionado sai da igreja evangélica mas voltei quando visitei uma igreja na zona sul de São Paulo, a Igreja Betesda, que ainda era desconhecida para mim. Resumindo e sendo muito simplista sobre a Igreja Betesda: ela não ensina que cristianismo é amor a si próprio e aos bens materiais e sim, como dia a bíblia diz, Amar a Deus e ao próximo como a si mesmo.
Da mesma forma quanto a bandas evangélicas, todas cantando as mesmas coisas mas pouco se via de cristianismo, porém ao conhecer DC Talk e depois Toby Mac foi como ter esperança de ouvir musica genuinamente cristã pudesse ser possível.

 

Viajei conheci outros lugares e culturas em minha profissão de servir, pessoas “especiais”, trabalhei com o luxo, chegou um momento que a simplicidade me chamava, não queria dedicar minha vida a isso, queria desenvolver pessoas, crescer e fazer feliz quem mais precisava. Depois de anos trabalhando em hotelaria troquei tudo por uma empresa de desenvolvimento social.

 

Trabalhando uma empresa que tinha um proposito que eu queria, indo em uma igreja onde havia cristianismo de verdade, doando sangue, cuidando de minha saúde ainda eu não me sentia satisfeito queria fazer mais.

 

Já havia alguns anos que eu usava a bicicleta como meio de transporte. Para mim a bicicleta além de locomoção era saúde, cidadania, amor a cidade e as pessoas dela e principalmente um modo de vida alternativo, um modo de vida além do consumismo, do socialmente aceitável, do egoismo, do mundo do status pela força pelo medo e pelo poder. Sempre soube que com a bicicleta eu aprendi e amadureci muito em humildade, em saúde, em abnegação, respeito e amor. Por isso sempre me dei tão bem com ela tínhamos uma afinidade que não teve inicio, e talvez por isso o meu interesse por carros, eu só tirei minha carteira de motorista aos 24 anos para caso precisasse, em caso de emergência.

 

E foi assim, a bicicleta sempre esteve ali, desde quando eu tinha 24 anos eu comecei a pedalar. Naquela época eu sentia o desrespeito, a ameaça, o que tem melhorado muito mas nunca me desencorajei, só não usava diariamente devido a distância.

 

O meu desejo de me entregar, doar e ajudar está baseado diretamente no exemplo da incrível Madre Tereza de Calcutá, e que exemplo!. Com isso eu me cobrava e me frustrava pro não poder ajudar como ela, mas isso fazia parte do meu autoconhecimento.

 

Em um momento eu entendi que as pessoas são diferentes, que sou diferente, que não tenho que ajudar necessariamente na área da saúde, a qual não tenho nenhuma afinidade. Quando entendi isso procurei formas de amar da forma que eu gosto, que tenho facilidade, um Dom talvez, usando essa ferramente que para mim é simbolo de AMOR.

 

A um ano exatamente, 13 de março de 2012, fiz algo que mudou minha vida, eu enviei um email para um grupo de amigos o qual faziam um trabalho que acho lindo: ajudar pessoas a serem boas cidadãs, serem saudáveis, que espalhem amor por onde elas passam, que respeitem as outras pessoas, que possam ser diferentes e, principalmente, que tenham a chance que nunca tiveram de viver. A forma que fazemos isso é com a bicileta e o nome desse grupo é Bike Anjo.

 

Em 13 de março de 2012 eu era um cara que queria amar, e hoje 13 de março de 2013, meu aniversário de 33 anos, a idade de Jesus, posso dizer que sou um cara que ama.

 

E assim atinjo o topo da piramide de Maslow a autorrealização, a satisfação pessoal, a plenitude por que para mim isso tudo é pode Amar…

 

Navegação de Posts