Wagner Pensa Hirata

Love and Bike Lifestyle

Arquivo para o mês “janeiro, 2014”

“Ativismo, fazendo uma cidade que não vai para frente…”

Hoje aconteceu mais um pequeno “acidente”, quebraram, apenas, um raio da minha bicicleta. As aspas cabem aqui porque podemos ver tantos “acidentes” que são gerados pela indiferença, falta de cuidado e zelo, ou seja, falta de amor que geram além de raios quebrados, cabeças, copros e vidas.

Mas voltando ao acontecido, hoje um motorista sem zelo frente a vida alheia quis passar por mim aonde não havia espaço, foi um pequeno esbarrão, nem me derrubou mas gerou o persistente sentimento de indignação que vem sempre quando essas coisas acontecem. Não é fácil ver o outro, artificialmente mais forte, colocar TUDO como mais importante que sua vida: a pressa, o egoismo, o status, a covardia, arrogância, etc. E quando temos coragem e algo a falar é impossível se calar.Imagem

Ao receber o grosseiro empurrão o grito é automático. A indignação gera em mim um profundo desejo e esperança de que o agressor, quase assassino, entenda o quão mortal ele pode ser e mude suas atitudes. Para isso eu não uso palavrões, falo de leis e da importância da vida do próximo, naquela situação da minha. Porém hoje ao falar com aquele motorista indiferente ouvi algo simples e pensado, mas o mais absurdo, que mesmo as palavras raivosas de motoristas indignados em dividir o SEU espaço na rua nunca me disseram, talvez pela propriedade que ele viu em minhas palavras, ele falou: “Eu ando de bicicleta. Você é Ativista né, por isso essa cidade não vai para frente. Por isso não há como a bicicleta compartilhar a rua com carro”.

Depois do motorista ir embora pensei se eu seria um “ativista”, e se por isso eu fazia mal a minha tão amada cidade. Por lutar por direitos e deveres? Isso que incomoda? Sempre tentei trazer vida, que pensava fazer o bem a cidade e aos da cidade.

A auto crítica e o auto conhecimento não me deixam em paz, e pensei se realmente fazia mal a minha cidade e a meus concidadãos. Será que ele falou isso por eu ser Ativo, por isso ativista? será que ele esperava uma pessoa Passiva. Mas como uma pessoa passiva pode fazer uma cidade melhor?

Pensando enumerei exemplos, instituições que admiro que são realmente ativas, não são perfeitas certamente, mas eu tenho certeza que o mundo não seria melhor sem elas, vou citar só dois exemplos: Greenpeace (tenho certeza que muitas empresas não pensariam duas vezes em poluir, desmatar, etc, se eles não existissem), Bike Anjo (pessoas que ensinam um forma diferente de ver a vida e dá oportunidade a pessoas muitas vezes com medo fazer o que tanto sonham).

E mais ainda vejo exemplos de pessoas que mudaram o mundo, quem quiser que os intitulem como ativistas: Mahatma Gandhi (assassinado-ativo na causa da soberania e independência da Índia contra a exploração e abuso dos ingleses que apenas usou o Amor como arma); Martin Luther King Junior (assassinado-ativo na causa da igualdade de direitos civis onde usou como arma apenas o Amor, seguiu o exemplo de Gandhi); Madre Tereza (morte natural-ativa na causa dos pobres dos pobres, sua força era o Amor); Dorothy Stang (assassinada-freira que lutou pelo reflorestamento, o desenvolvimento sustentável das comunidades e com coragem bateu de frente com fazendeiros da região); Nelson Mandela (morte natural-que lutou pela igualdade entre todos os irmãos brancos e negros, e foi firme em sua luta pagando por isso um alto preço, 25 anos na prisão e mesmo saindo de lá saiu sem magoas nem ressentimentos de seus opressores); Leon Tolstoi (morte natural-escritor que entendeu e seguiu de todas as formas possíveis o Amor); Julie Dias (assassinada-lutava pela humanização de São Paulo através da bicicleta e plantando árvores); Odir Ogro (ainda vivo mas que sofreu represálias “acidentes” por sua luta-ativo na humanização da cidade através da bicicleta).

Realmente não vejo maus exemplos entre os ativistas quando esses são movidos pelo Amor e o desejo de trazer Vida as pessoas. Não, realmente não acredito que eu faria uma cidade nem um mundo melhor sendo “Passivista”.
Quero ser ativo e seguir quem me serve de exemplo para trazer Amor e Vida, e continuar a incomodar os que esperam passividade cabeça baixa.

Navegação de Posts